segunda-feira, 19 de setembro de 2011

TIQUIRA


 

  Figura 1: Plantação de mandioca


 De origem do dialeto indígena tupi TYKIR que significa cair gota a gota, que a muito tempo não vem sido produzida como antigamente somente de forma artesanal em apenas alguns municípios perto dos Lençóis Maranhenses e pode ser considerada uma genuína bebida brasileira pois seu principal ingrediente e de nosso pais.  A mandioca e muito resistente e pode ser plantada em diversos solos e condições climáticas e somente no Brasil foram catalogadas mais de oitenta espécies e são divididas em duas categorias a amarga ou brava que e toxica usada para industrialização e a doce ou mansa usada em nossa culinária que também pode ser chamada de aipim ou macaxeira a única coisa que as diferencia e o alto teor de acido cianídrico,  mas independente disto sabendo preparar a brava também pode ser consumida, sua raiz é composta de película parda, entrecasca e polpa e 50 a 70 % de água, 15 a 30% de amido, 0,7% de proteína, 0,4% de fibra e 0,5% de cinza e seu teor de amido pode chegar a 80%, usada na fabricação de produtos alimentícios como a farinha d’agua, tucupi, beijus e tapiocas,  podendo também ter seu consumo in natura, um outro recurso que encontraram foi a obtenção de álcool combustível e aguardente denominada de tiquira.
           A tiquira uma bebida derivada da mandioca, que foi criada pelos indígenas a partir do Cauim, resultado da fermentação do mosto da mandioca, quando os portugueses vieram para o Brasil e começaram a colonização pegaram o Cauim e aplicaram o processo de destilação, uma bebida pura com um teor alcoólico alto que pode variar de 38 a 56 GL, possui uma coloração levemente azulada e é usada como aperitivo antes das refeições, para sabe sua graduação alcoólica e utilizado o método densimetrico que é a separação do álcool por meio de destilação.
         Sua produção e limitada, pois para obter fécula suficiente para produzir uma ótima tiquira pode demorar ate 15 meses desde seu plantio, esse destilado e obtido a partir da sacarificação e fermentação da mandioca e em sua composição alem de cianeto contem carbamatos, metanol e alguns íons de metais e o valor encontrado de cianeto foi muito alto cerca de 150 vezes maior do que o valor permitido para ser consumido em águas potáveis, essa toxicidade do cianeto já vem sido estudada há mais de dois séculos e quando ingerida inibe a respiração celular atuando sobre enzimas que contem ferro assim impedindo o consumo de oxigênio.
        Infelizmente nossa querida e preciosa cachaça um produto que quando colocado em um bom barril de carvalho e deixado por tempo indeterminado fica com um aroma e sabor do barril deixando-a mais saborosa para consumo mas que nossa “elite” considera ser uma bebida de pessoas de baixa renda que não tem opção e isso reduz a um publico muito baixo de apreciadores isso é puro preconceito pois desde o século passado barões já há degustavam, e não basta apenas pear uma cachaça e colocar no copo tem todo um preparo, as pessoas seguem alguns critérios que observam na escolha do copo adequado e tudo isso para que não perca seu sabor e aroma.
       Algumas curiosidades desta bebida genuinamente brasileira que por ser não muito conhecida e conseqüentemente não consumida é cercada por muitas lendas e no meio dessas muitas historiam a mais conhecida é que, quando for tomar um gole não pode se molhar caso se molhe ficara bêbado imediatamente, que começou com os próprios indígenas que ao consumirem em excesso e sem nenhuma técnica de refinamento ficavam bêbados rapidamente e por isso essa lenda.



Figura 2: Garrafa de Tiquira






REFERÊNCIA:

Disponível em: <HTTP://tiquiramagu.blogspot.com - domingo, 03\04\2011 - postado por Giordanno.28 de Agosto de 2011.

OLIVEIRA; RESENDE,Rodrigo; Miriam. AVALIAÇAO DA PREPARAÇAO DA CASCA DE MANDIOCA PARA UTILIZAÇAO EM UM PROCESSO DE OBTENÇAO DE AGUARDENTE. Disponível em:<HTTP://www.cobeqic2009.feq.ufu.br\uploads\media\89722331.pdf,28 de Agosto de 2011.

FURTADO;BEZERRA;MARQUES;MARQUES,Jomar;Cícero;Edmar;Aldalea,CIANETO EM TIQUIDAS:RISCOS E METODOLOGIA ANÁLÍTICA,Disponível em:<HTTP://www.scielo.php?pid=s0101-20612007000400004&script=sci_arttext,28 de Agosto de 2011.





Componentes:
Alexia Anibal
Ana Claudia Marins
Anieli Scarpelini
Elena Vergueiro
Leonardo Facio


Orientação:
Chefe Jorge da Hora



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário